ARTIGO 6 - O PORQUÊ ALGUÉM É FILHO DE OXOSSI

Autor: Pablo de Salamanca

Escrito em 20 de fevereiro de 2017.

Oxossi é um orixá iorubá, aparecendo na mitologia africana, como os demais, com características fortemente humanas. Em verdade os mitos são muito úteis, pois revelam, através de simbolismos, tendências de caráter dos chamados “filhos” de cada orixá, permitindo um autoconhecimento. Ninguém pode se desenvolver mediunicamente, com equilíbrio, sem conhecer a si próprio, e muito menos ter uma jornada terrena realizadora, atuando bem em sua família, trabalho e sociedade. É relevante compreender os traços de caráter positivos, ou simplesmente “pontos fortes”, aperfeiçoando-os. É fundamental reconhecer os aspectos considerados negativos, que precisam ser transformados e/ou redirecionados. Além disso, não se podem esquecer as potencialidades, ou seja, as boas características que ainda devem surgir e se desenvolver na pessoa, que está sob a influência mais marcante de um orixá.

Quanto a Oxossi, é possível assinalar como exemplo três frequentes características positivas: raciocínio rápido, iniciativa e disposição de buscar novos conhecimentos. Também apresentamos três possíveis traços de personalidade negativos: inconstância, indisciplina e escapismo quanto a problemas (no caso de filhos de Oxossi mais novos, esta fuga de situações desagradáveis pode dar origem a vícios).

Como já colocado acima, frisamos que esses traços, sobretudo os negativos, referem-se aos filhos do orixá caçador e não a Oxossi em si. Não é possível atribuir culpa a este orixá por algum grau de inconstância, indisciplina ou escapismo de alguns médiuns guiados por Oxossi. Aliás, este orixá, como qualquer outro, é um campo vibratório ocupado por entidades de luz, que trazem todas as boas e positivas características dessa vibração. Os traços negativos apenas existem no Plano Terreno ou nas camadas mais baixas do Astral, sendo praticadas por nós encarnados, ou por espíritos ainda em desarmonia. Assim, cabe aos filhos de Oxossi buscarem a energia preponderante e pura que os ampara, pois se assim não agirem, o primeiro a corrigi-los é o próprio “pai de cabeça”.

Então, vem à tona o principal objetivo deste texto, que é a indagação: por que alguém é filho de Oxossi? Fundamentalmente, ocorrem dois motivos. O primeiro é que o indivíduo tem suas principais vibrações naturais com grande correspondência ao campo energético de Oxossi. Além disso, por meio da Lei de Ação e Reação (ou Lei Cármica), a pessoa teve seus principais erros, em vidas passadas, no contexto das características negativas citadas acima. Ou seja, muitas vezes não teve a constância necessária para alcançar suas metas, foi indisciplinado no âmbito familiar ou profissional, buscou vícios para esquecer os problemas etc. Desta maneira, nada melhor que a egrégora espiritual de Oxossi para sustentar e inspirar a este espírito na terra, no intuito da transformação daquilo que não é construtivo e, ao mesmo tempo, buscando os aspectos positivos desse campo vibratório.

Os indivíduos que têm, em Oxossi, o orixá principal, pela inteligência e versatilidade frequentes, podem ter profissões diversificadas. Se, em vidas passadas, deram maus exemplos ou foram figuras religiosas corrompidas, hoje podem atuar como bons professores ou instrutores espirituais. Se, no pretérito distante, acumularam ações cármicas no campo da fala, hoje podem atuar como bons jornalistas ou na disseminação de informações técnicas. Se, no passado, tiveram vidas terrenas onde perderam a saúde por meio do álcool, fumo etc., instigando outros a seguirem neste caminho, podem ter como missão profissional ser um agente de saúde (na enfermagem, na medicina tradicional ou através do uso de ervas). 

As possibilidades são muitas para os “filhos de Oxossi”, orixá associado originalmente à caça e à sustentação da tribo, que, hoje, se amplificou nas comunidades mais numerosas em que vivemos. Mas, os “filhos de Odé” que teimam em agir de forma excessivamente descompromissada, ou repetindo os equívocos do passado, ainda justificando que é devido ao seu orixá, precisam respeitar mais a sua coroa. Assumir as próprias falhas é primordial para o desenvolvimento individual. Não esqueçamos também, que o primeiro a podar a indisciplina de seu pupilo espiritual é o próprio “pai de cabeça”, no caso Oxossi, por meio de uma entidade desta corrente vibratória, geralmente um caboclo. Aliás, desejamos que os filhos de Oxossi sejam como os caboclos, representantes típicos deste orixá, mantendo uma linha de ação firme, constante e inspiradora, como verdadeiros “caçadores de almas”. Okê arô Oxossi!

Clique aqui e deixe um comentário!


LIVRO DE VISITAS



VOLTAR PARA A PÁGINA ANTERIOR