ARTIGO 16 - SEMPRE LÚCIDOS NO ASTRAL?

Autor: Pablo de Salamanca

Escrito em 29 de julho de 2012.

Há algum tempo, leio pela Internet que uma ou outra pessoa que se projeta, declara crer que a lucidez é constante quando o indivíduo saiu de seu corpo físico. Ou seja, o projetor, quando se encontra no Astral, estaria sempre lúcido. O problema, segundo esses projetores, seria a falta de rememoração de suas atividades no Mundo Extrafísico.

Bem, de minha parte, embora concorde que existam oportunidades em que o projetor atue lucidamente no Astral e retorne ao Mundo Físico sem recordações, discordo que este fato sempre ocorra e passo a apresentar meus argumentos. Por exemplo, já fiz uma viagem astral em que realizava uma atividade bioenergética, conjuntamente com outros projetores, quando acabei adormecendo no local. Após um período despertei lá, onde ainda se encontravam os amigos projetados. Então, perguntei-lhes o que ocorreu durante o meu intervalo de sono. Recebi como resposta que um mentor estivera presente e que a tarefa fora terminada a contento. Em outras palavras, estive um certo tempo no Astral, sem consciência do que estava acontecendo. Poderia assinalar outros casos semelhantes, inclusive relatados por diferentes projetores, mas prefiro não me alongar quanto a este tipo de argumentação, pois há outra que também é relevante. Refiro-me à literatura espírita/espiritualista, que informa a ocorrência não só de pessoas projetadas no Astral, que dormem lá (ou seja, sem lucidez), mas também que aponta ocorrerem desencarnados que permanecem longos períodos em sonolência profunda, imersos em sonhos e lembranças de suas vidas terrenas. Em outras palavras, os seres humanos não permanecem lúcidos na Dimensão Astral todo o tempo.

Algumas pessoas explicam que há indivíduos que, uma vez no Astral, adormecem lá, deixando seus perispíritos (corpos astrais), para se manifestarem lucidamente numa outra dimensão energética (superior), usando um veículo ainda mais sutil. Inclusive há uma situação como esta, apresentada no caso de um desencarnado, o espírito André Luís, num livro psicografado por Chico Xavier. Mas, estes casos seriam sempre a regra? Ou seja, então sempre haveria lucidez em algum dos níveis vibracionais do Astral? Creio que não, pois isto, na minha ótica, seria incorrer num erro de generalização. Nem todos possuem um grau de desenvolvimento consciencial suficiente, para estarem plenamente lúcidos em qualquer ambiente vibracional. Cada ser está num patamar de compreensão distinto e, mesmo que seja induzido/ajudado por um mentor a manifestar-se num nível mais sutil, por algum tempo, nem tudo assimilará com perfeita clareza.

Ainda coloco o fato de alguns projetores que afirmam que o espírito nunca dorme, pois a mente nunca se paralisa ou adormece. Isto é, eles consideram que, em algum nível, o espírito estará sempre funcionando. No entanto, assinalo que, mesmo considerando que a mente nunca para de funcionar, isto não significa lucidez constante. Simplesmente lembro que a mente pode estar trabalhando no nível inconsciente, tecendo suas elaborações de caráter subjetivo/interno.

Finalizando este artigo, apenas saliento que o escrevi com o intuito de que se evitem certas confusões, em função de generalizações que são feitas. Elas até podem prejudicar a compreensão do fenômeno da projeção astral, contribuindo negativamente no desenvolvimento de pessoas menos experientes, que interessam-se neste assunto.

 Clique aqui e deixe um comentário!


LIVRO DE VISITAS



VOLTAR PARA A PÁGINA ANTERIOR